Retrospectiva 2022 — Balanço das contratações do Fluminense no ano

Compartilhe

Em 2022, o Fluminense fez 10 contratações para a temporada. Visando a disputa da Copa Libertadores, o Tricolor apostou principalmente em reforços experientes. Para isso, o clube teve que desembolsar cerca de R$ 12,2 milhões de reais.

A maior parte do dinheiro foi investido na contratação de Cristiano. O lateral apareceu como destaque do Sheriff, da Moldávia, na Champions League. Sobretudo nos confrontos contra o Real Madrid. A torcida então invadiu as redes sociais do jogador para pedir a sua contratação que custou € 1,4 milhões de euros (cerca de R$ 9 milhões de reais) aos cofres.

Além de Cristiano, só duas outras contratações do Fluminense envolveram dinheiro, os empréstimos de Nathan e Marrony. Para contar com o meia por um ano, o Tricolor precisou pagar R$ 1 milhão ao Atlético-MG no início de 2022. Enquanto que, no caso do atacante, foi gasto € 400 mil euros (aproximadamente R$ 2,4 milhões de reais). Os demais reforços ou estavam sem contrato e por isso chegaram sem custos ou por empréstimo apenas com uma opção de compra, como o caso de Pineida.

Você conhece nosso canal no YoutubeClique e se inscreva! Siga também no Instagram

Perfil das contratações do Fluminense em 2022

Cano, Fábio e Cristiano foram as contratações do Fluminense que mais jogaram em 2022
Cano, Fábio e Cristiano foram as contratações mais utilizadas pelo Fluminense em 2022 (Arte: Lucas Meireles/ST)

Com o elenco que terminou em sétimo no Brasileirão 2021 praticamente mantido, o Fluminense trouxe contratações pontuais para a temporada 2022. Alguns chegaram como oportunidade de mercado porque estavam livres, como o goleiro Fábio, o zagueiro David Duarte, o volante Felipe Melo, além dos atacantes Willian Bigode e Germán Cano. Este último, contratado logo após a recusa de Ricardo Goulart, que assinou com o Santos e hoje defende as cores do Bahia.

Com a saída de Egídio e Danilo Barcelos fora dos planos, a lateral-esquerda foi prioridade com dois reforços. Mesmo assim, o Fluminense terminou com Calegari e depois Alexsander improvisados no setor.

O clube também fez questão de um meia de ligação — após as saídas de Nenê e Cazares — e de um centroavante — já que Fred só cumpriria mais seis meses de contrato antes de se aposentar. Enquanto que, segundo semestre, as contratações vieram como reposição logo após a venda de Luiz Henrique para o Bétis e a aposentadoria do ídolo Fred.

A média de 31,1 anos, puxada para cima por nomes como, por exemplo, Alan (32), Cano (34), Willian (35), Felipe Melo (38) e Fábio (41), chama a atenção. Em um time que colocou em campo quase metade de jogadores formados na base, esta foi uma forma que a diretoria encontrou de balancear o elenco.

Dos contratados, Fábio e Cano foram o mais utilizado por Abel Braga e Fernando Diniz na temporada. O arqueiro disputou 5.490 minutos em 61 jogos, enquanto o argentino disputou 5.487 minutos em 70 partidas. Por outro lado, Alan — que sofreu com lesões e a falta de ritmo — foi o menos participou dos jogos com apenas 32 minutos em só quatro jogos disputados.

As contratações do Fluminense no início do ano: Felipe Melo

Números de Felipe Melo no ano
Dados: Ogol (Arte: Lucas Meireles/ST)

Primeiro reforço da temporada, o volante Felipe Melo chegou logo após não renovar com o Palmeiras. Experiente, com passagens por grandes clubes na Europa como Juventus e Inter de Milão, além da Seleção Brasileira, o jogador capitaneou o período mais vencedor da história alviverde conquistando duas Libertadores, um Brasileirão e uma Copa do Brasil.

No Flu, assinou um contrato de dois anos e recebeu a camisa 52 em alusão ao título da Copa Rio — um antecessor do Mundial da FIFA. As fala sobre o pai ser tricolor, o carisma e os “Ruf Ruf” do Pitbull fizeram a torcida rapidamente esquecer a sua passagem pelo arquirrival Flamengo no início da carreira.

Aos 38 anos, Felipe começou o ano como titular, inclusive falhando na derrota por 1 a 0 para o Bangu na estreia do Campeonato Carioca. No time comandado por Abel, fazia o papel de uma espécie de líbero ora atuando entre o zagueiros para explorar a qualidade de seus lançamentos, ora jogando a frente da zaga.

O experiente volante se manteve titular durante boa parte da campanha do título Carioca e disputou todas as partidas das duas fases da pré-Libertadores — perdendo, aliás, um dos pênaltis na decisão por pênaltis contra o Olimpia.

Mas, após a decisão contra o Flamengo, o jogador revelar que estava com uma lesão no joelho e precisaria passar por um artroscopia. Depois de dois meses afastado, o volante retornou já com Fernando Diniz no comando.

Contudo, o jogador encontrou mais dificuldades com o novo treinador. Foram apenas três jogos como titular. Felipe Melo não dava a mesma dinâmica que André ao meio-campo. Por isso, Diniz chegou a testá-lo como zagueiro para aproveitar a sua qualidade no passe. Por outro lado, a sua lentidão deixava o sistema defensivo tricolor mais exposto.

Willian Bigode

Números de Willian Bigode no ano
Dados: Ogol (Arte: Lucas Meireles/ST)

Assim como Felipe Melo, Willian chegou após um período vencedor com a camisa do Palmeiras. Para anunciá-lo, o clube reuniu fotos de diversos jogadores ‘bigodudos’ ao longo da história para dizer que o Fluminense era “o time do bigode”.

O atacante de 35 anos também começou o ano entre os titulares com Abel Braga, fazendo um gol importante na vitória sobre o Millionários na pré-Libertadores. Por outro lado, também perdeu pênalti contra o Olimpia. A irregularidade e a mudança de esquema — com a entrada de Paulo Henrique Ganso na final do Cariocão — fez com que o camisa 17 perdesse a vaga no time.

Willian então se tornou um reserva que costumava entrar nos minutos finais dos jogos. Também viveu seus momentos de destaque como, por exemplo, quando deu três assistências na goleada por 10 a 1 sobre o Oriente Petrolero pela Copa Sul Americana. Ou quando entrou e marcou dois gols em um intervalo de cinco minutos na goleada por 5 a 2 sobre o Coritiba no Maracanã.

Mas o principal momento talvez tenha sido o gol da vitória diante do Goiás no Serra Dourada. Bigode entrou aos 40 do segundo, quando a partida estava empatada em 2 a 2, e marcou um golaço aos 45.

David Duarte

Números de David Duarte no ano
Dados: Ogol (Arte: Lucas Meireles/ST)

Desejo antigo do Fluminense, David Duarte enfim assinou com o clube após não renovar o contrato com o Goiás. A contratação do zagueiro de 26 anos fez parecer que Nino — valorizado após ser titular na conquista da medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Tóquio — sairia ainda naquela janela de transferências.

Porém, com a recusa da proposta do Tigres, do México, pelo camisa 33, o setor ficou bastante congestionado. Além de Nino e de seu xará David Braz — que começaram o ano como titulares —, David Duarte ainda teve a concorrência de Manoel e Matheus Ferraz.

A estréia com a camisa tricolor veio na segunda rodada do Campeonato Carioca. O zagueiro vinha tendo uma atuação segura, mas saiu lesionado no segundo tempo. As lesões, aliás, o acompanharam durante praticamente todo o ano de 2022. Contra o Nova Iguaçu, por exemplo, David Duarte teve uma nova chance, mas teve que sair logo aos 10 minutos de jogo.

O zagueiro chegou a ficar quase dois meses sem entrar em campo até entrar improvisado como lateral-direito nos minutos finais do segundo jogo da final do Campeonato Carioca para aumentar a estatura do sistema defensivo com seus 1,92m de altura.

Desde então, essa passou a sua sina até o final do ano. Quando não estava lesionado, o defensor entrava na reta final dos jogos por este motivo. Com Diniz, aliás, ainda passou a ter concorrência de Felipe Melo na zaga.

Mário Pineida

Números de Pineida no ano
Dados: Ogol (Arte: Lucas Meireles/ST)

Assim como Jhon Arias, Pineida também enfrentou o Fluminense na Libertadores 2021, só que pelo Barcelona Guayaquil. Apelidado de “Pitbull” no Equador, o lateral destro chegou por empréstimo com opção de compra para jogar na esquerda. Embora Abel Braga tenha conversado sobre a possibilidade de atuar também na direita.

Experiente, Pineida já havia chegado a semifinal da Libertadores em 2017 e em 2021. Contudo, o equatoriano não se firmou em nenhum dos lados. Na esquerda, começou como reserva de Cristiano no Campeonato Carioca e na pré-Libertadores.

Quando teve oportunidade, o lateral demonstrou dificuldade em dar amplitude ao time. Por atuar no lado oposto ao pé dominante, quase sempre cortava para o meio ao invés de buscar a linha de fundo.

Talvez por isso, com Fernando Diniz as oportunidades se tornaram ainda mais raras. O treinador só o escalou como titular em quatro jogos. Após uma temporada pouco convincente com a camisa tricolor, Pineida não deve está nos planos do Fluminense para 2023 e portanto deve voltar ao Equador.

Cristiano

Números de Cristiano no ano
Dados: Ogol (Arte: Lucas Meireles/ST)

A mais cara entre as contratações do Fluminense para 2022, Cristiano — ou Cris Silva — retornou ao Brasil após cinco temporadas no Sheriff, da Moldávia. O lateral começou o ano como titular no time de Abel Braga, mas mostrou que ainda precisava de passar por uma readaptação ao futebol brasileiro.

Muitas vezes tímido no ataque e inseguro na defesa, o lateral passou o Campeonato Carioca disputando posição com Pineida. O único gol marcado na vitória sobre o Oriente Petrolero pela Copa Sul Americana no Maracanã lhe deu confiança.  E nem mesmo a saída de Marlon — que rescindiu contrato para assinar com o Ankaragücü, da Túrquia — facilitou a sua vida.

Isso porque, após a chegada de Fernando Diniz, o ‘Capitão Moldávia’ — como foi apelidado por parte da torcida do Flu — chegou a ganhar algumas oportunidades e então se tornou reserva de vez. Para a posição, o treinador primeiro improvisou o ponta Caio Paulista. Já na reta final — com a queda de rendimento do atacante — o lateral-direito Calegari se tornou titular na esquerda. E, por fim, o volante Alexsander terminou jogando as duas últimas partidas como lateral-esquerdo.

Nathan

Números de Nathan no ano
Dados: Ogol (Arte: Lucas Meireles/ST)

Com Cazares em baixa — antes de rescindir o contrato para assinar com o Metallist — e Ganso voltando de um longo período lesionado, o Fluminense precisou procurar um meia de ligação para a temporada. Embora tenha terminado 2021 na reserva do Atlético-MG, a chegada de Nathan animou os tricolores. Principalmente por conta das boas atuações do jogador de 25 anos em temporadas anteriores com a camisa do Galo.

Nathan também começou o ano como titular. Entretanto, a falta de intensidade nas partidas fez com que Abel Braga remodelasse o esquema tático do 3-5-2 para o 3-4-3 com Luiz Henrique no ataque.

A situação do meia ficou ainda mais difícil com o crescimento de Paulo Henrique Ganso ao longo do Campeonato Carioca. Para Abel, Nathan passou a ser reserva imediato do camisa 10. Quando Fernando Diniz assumiu, no entanto, falou sobre a possibilidade dos meias atuarem juntos.

Com Diniz, o camisa 13 chegou a atuar em alguns jogos aberto pelo lado esquerdo, mas logo perdeu a posição para Matheus Martins. O meia chegou a viver alguns momentos de destaque como o belo gol na vitória sobre o Cruzeiro pela Copa do Brasil e ao encerrar o jejum de quase um ano do Flu sem marcar um gol de falta, na vitória contra o Coritiba.

Mas, para ficar com Nathan após o fim do empréstimo, o Tricolor precisaria desembolsar € 5 milhões de euros. Ou seja, cerca de R$27,85 milhões de reais na cotação atual. Além disso, o clube mineiro não parece estar disposto a cedê-lo novamente por empréstimo.

Germán Cano

Números de Germán Cano, a principal das contratações do Fluminense, no ano
Dados: Ogol (Arte: Lucas Meireles/ST)

Sem duvida a contratação mais acertada da temporada. Germán Cano chegou ao Fluminense após não renovar o contrato com o rival Vasco — caminho parecido com o de outro argentino que brilhou com a camisa tricolor, Darío Conca.

E assim como Conca, Cano conquistou rapidamente a torcida tricolor. Aos 34 anos, o centroavante chegou em primeiro lugar para ser reserva de Fred que já estava com os meses contados como profissional. Mas as lesões do camisa 9, como a diplopia (visão dupla) no olho, por exemplo, e os gols do camisa 14 apressaram ainda mais a sua titularidade.

Cano “fez o L” muitas vezes em 2022. No Tricolor, o argentino confirmou o status de artilheiro de um toque só com a maior parte dos tentos marcados desta maneira. Mesmo só tendo batido um pênalti (e perdido), o atacante terminou quebrando diversos recordes com a camisa tricolor. Artilheiro da Copa do Brasil, artilheiro do Brasileirão, estrangeiro com mais gols em uma mesma edição do Campeonato Brasileiro, jogador que mais vezes balançou as redes em uma mesma temporada pelo Fluminense.

O sucesso do ‘papai do Lorenzo’ foi tanto que o argentino renovou contrato até 2025.

Fábio

Números de Fábi, outra das principações contratações do Fluminense, no ano
Dados: Ogol (Arte: Lucas Meireles/ST)

Última das contratações do Fluminense no início do ano, Fábio chegou como uma oportunidade de mercado. O goleiro de 41 anos chegou após não renovar com o Cruzeiro depois de 19 anos no clube mineiro.

Enquanto Fábio se condicionava fisicamente, Marcos Felipe se manteve como o titular da meta tricolor. Depois, a comissão técnica passou a promover um revezamento na escolha dos goleiros com Fábio sendo o escolhido nas partidas mais importantes como as da pré-Libertadores e as finais do Campeonato Carioca.

A partir disso, o camisa 12 se tornou absoluto no gol. O experiente arqueiro até falhou ao sair jogando com os pés como, por exemplo, no jogo de ida contra o Olimpia e na vitória sobre o Atlético-MG. Por outro lado, salvou o time em diferentes oportunidades.

Fábio e Cano, aliás, foram os únicos reforços a terminarem a temporada como titulares. O goleiro também teve o contrato renovado para a próxima temporada.

Contratações do Fluminense para o segundo semestre: Alan

Números de Alan no ano
Dados: Ogol (Arte: Lucas Meireles/ST)

Com a aposentadoria iminente de Fred, o Fluminense se apressou e trouxe Alan para como uma das contratações para recompor o elenco. Revelado pelo próprio Flu em 2008, o atacante retornou após 12 anos depois de jogar no RB Salzburg e no futebol chinês, onde se naturalizou para defender a seleção do país.

Sem entrar em campo desde Fevereiro, Alan precisou passar um recondicionamento físico. Contudo, um grave lesão na coxa o atrapalhou ainda mais no processo. Por isso, o atacante só pode fazer a sua reestreia na reta final do Brasileirão.

Ainda longe do ritmo de jogo, Alan ganhou alguns poucos minutos com Fernando Diniz e até marcou um gol na vitória sobre o Goiás no Maracanã.

Marrony

Números de Marrony no ano
Dados: Ogol (Arte: Lucas Meireles/ST)

“Seu guarda, o Marrony é Fluminense”. Com a brincadeira com a canção da dupla Bruno & Marrone, a última das contratatações do Fluminense para a temporada era apresentada. O atacante revelado pelo rival Vasco e com passagem pelo Atlético-MG chegou por empréstimo à pedido de Fernando Diniz.

Aos 23 anos, o jogador serviria como um substituto para Luiz Henrique, negociado com o Real Bétis, da Espanha. As características realmente são parecidas, ponta alto, forte e habilidoso. Entretanto, o camisa 16 ainda não conseguiu desempenhar o melhor futebol com a camisa tricolor.

Depois de entrar em alguns jogos e não convencer, Marrony acabou perdendo espaço com o treinador. Após ficar um tempo lesionado, o atacante voltou a ser relacionado nas duas últimas partidas do ano, mas sequer entrou em campo.

O atacante tem contrato com o Fluminense até o meio do ano que vem. Se quiser ficar com o jogador, o Tricolor vai precisar pagar € 4,5 milhões de euros (cerca de R$ 25 milhões de reais) ao Midtjylland.

ST


Compartilhe

Lucas Meireles

Jornalista formado pela UFRRJ, apaixonado por esportes e pelas boas histórias.

7 thoughts on “Retrospectiva 2022 — Balanço das contratações do Fluminense no ano

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *