Mesmo de longe, Caio Henrique revela acompanhar todos os jogos do Flu e torce para o time na Liberta: “Sempre assisto”

Compartilhe

Já não é de hoje o forte sentimento entre Caio Henrique e o Fluminense. Em uma recente entrevista ao One Football, o jogador já havia deixado claro o carinho que tem pelo clube. Contudo, agora a pouco, em uma postagem do perfil oficial do Monaco, sua atual equipe, revelou que o lateral/volante assiste aos jogos sempre que consegue. Caio também revelou que torcerá pelo tricolor na Libertadores.

 

Você conhece nosso canal no YoutubeClique e se inscreva! Siga também no Instagram

Quando deixou o Fluminense oficialmente, o jogador publicou a seguinte mensagem em suas redes sociais:

“Hoje venho aqui para me despedir de um lugar no qual fui muito feliz. Gostaria muito de agradecer ao Fluminense por ter aberto as portas para mim e dizer que 2019 foi um ano inesquecível vestindo essa camisa. Levarei para sempre comigo todo o carinho do torcedor e as amizades que fiz dentro do clube. Jogadores, diretoria, comissão técnica, funcionários, sempre me trataram com respeito e estarão sempre no meu coração. Não será possível seguirmos juntos em 2020 mas saio com convicção de que sempre deixei tudo lá dentro. Foram dias de suor e muita dedicação. OBRIGADO FLU”

Ao fim do seu contrato de empréstimo de um ano com o Fluminense, a diretoria tentou de todas a maneiras manter o jogador no clube. Foram feitas propostas de renovação de empréstimo e até proposta de compra do jogador junto ao Atlético de Madrid. Na época, em coletiva, o presidente Mário Bittencourt explicou a dificuldade em manter o jogador.

 Ele estava emprestado até fim do ano, não havia nenhuma cláusula de renovação. Enviamos documentos ao Atlético de Madrid perguntando se havia interesse em emprestar novamente. Eles responderam que poderiam emprestar por 1 milhão de euros, sem opção de compra. Fizemos uma proposta de 500 mil euros, parcelado. Depois eles responderam que não tinham mais interesse em emprestar. Fizemos uma proposta de compra, por 50% dos direitos econômicos. Em todo momento havia o interesse do atleta em ficar aqui, mas ele não tem poder sobre isso. E o Deco, que é o empresário, trabalhou bastante para isso.

No fim, o Grêmio pagou os um milhão de euros pelo empréstimo de Caio Henrique. Ele ficou por apenas cinco jogos no tricolor gaúcho quando o Atlético de Madrid solicitou o seu retorno. A ideia do técnico Diego Simeone era tê-lo como reserva de outro brasileiro: Renan Lodi. No entanto, o desejo de Caio de ter mais chances como titular pesou e ele foi negociado. O jogador foi vendido para o Monaco por 8 milhões de euros (cerca de 52 milhões de reais na época) e assinou por cinco anos.

Como Caio Henrique jogou uma temporada completa nas Laranjeiras com menos de 23 anos, o Fluminense, pela FIFA, é considerado um dos seus clubes formadores. Com isso, o clube teve direito a uma pequena porcentagem da negociação, embolsando R$ 260 mil reais, 0,5% do valor total da negociação.

Foi através do seu ótimo desempenho no Fluminense que o jogador voltou a ser convocado para a Seleção Brasileira Sub-23, comandada por André Jardine, e que se prepara para os Jogos Olímpicos desse ano.

ST


Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.