Flu começa o Brasileirão empatado com a pior defesa da Série A no ano

Compartilhe

O Fluminense incia o Campeonato Brasileiro com uma incomoda marca. O Tricolor tem, juntamente com o Sport, a pior defesa entre os 20 clubes da Série A. São 18 gols sofridos em 23 jogos disputados (contando os amistosos contra o Botafogo) em 2020.

Desde que Odair Hellmann chegou ao Fluminense, o trabalho do treinador sempre foi destacado pela consistência defensiva. No entanto, não é o que os números apontam na temporada.

Com 18 gols sofridos, o Fluminense começa a competição empatado com o Sport, que sofreu o mesmo número de gols. Enquanto, segundo o “Lance!”, Atlético-GO, que sofreu apenas quatro gols, e Palmeiras, com sete, são as duas melhores defesas entre os 20 que disputam a primeira divisão.

Você conhece nosso canal no YoutubeClique e se inscreva! Siga também no Instagram

O curioso é que o Tricolor não sofreu gols em quase metade das partidas. Foram 11 partidas em que defesa tricolor não foi vazada. Sendo oito pelo Campeonato Carioca, um Copa do Brasil, um pela Sul Americana e em um dos amistosos da Solidariedade contra o Botafogo.

Entretanto, os números mostram uma piora desde a retomada do futebol durante a pandemia da COVID19. Antes da suspensão dos campeonatos, o Flu havia sofrido apenas 10 gols em 15 jogos. Mas, após o retorno, o Tricolor sofreu oito gols em oito partidas.

Vale destacar que o Fluminense inicia o Brasileirão com dois desfalques na defesa. Matheus Ferraz e Digão, lesionados, não enfrentam o Grêmio no próximo domingo (09), às 19h, no CT Hélio Dourado.

Luccas Claro é o zagueiro que menos atuou na defesa do Fluminense
Luccas Claro deve formar a dupla de zaga titular ao lado de Nino (Foto: Reprodução/Fluminense Football Club)

Mudanças recorrentes na defesa

O técnico Odair Hellmann tem promovido um verdadeiro revesamento na defesa do Fluminense. Inicialmente o treinador não podia contar com Nino, um dos destaques do Fluminense no Brasileirão de 2019 após ser o segundo na competição em passes e dribles certos e o sexto melhor em aproveitamento de passes (96,8%), desarmes e interceptações porque o zagueiro estava servindo a Seleção Brasileira Sub-23 no Torneio Pré-Olímpico.

Por isso, a dupla de zaga na estreia do Campeonato Carioca, diante da Cabofriense, foi formada por Luccas Claro e Matheus Ferraz. Mas na terceira rodada, contra o Bangu, Digão já retornou ao time na vaga de Matheus Ferraz. Enquanto Nino só retomou a titularidade na partida contra o Moto Club, pela primeira fase da Copa do Brasil.

Dentre os quatro zagueiros, Digão foi o que mais jogou em 2020, com 14 jogos cada. Enquanto Nino atuou em 13, Matheus Ferraz em 12 e Luccas Claro em oito. Em contrapartida, o zagueiro que deve ganhar a titularidade contra o Grêmio é quem mais marcou gols, três contra um de Nino.

Digão foi um dos pilares da defesa do Fluminense
Enquanto Digão esteve em campo, o Fluminense sofreu 12 gols em 14 jogos. (Foto: Reprodução/Fluminense Football Club)

Nino e Matheus Ferraz foi a dupla mais repetida até o momento

Caso Luccas Claro comece jogando diante do Grêmio, está será a primeira vez que o time do técnico Odair Hellmann vai escalar esta dupla de zaga em 2020. Por enquanto, a dupla mais repetida na defesa tricolor foi formada por Nino e Matheus Ferraz.

Além disso, o treinador também escalou Digão e Nino e Luccas Claro e Digão em seis oportunidades cada dupla, Digão e Matheus Ferraz e Luccas Claro e Matheus Ferraz mais duas cada.

Entre as duplas, a que mais sofreu gols foi a formada por Matheus Ferraz e Nino. Foram seis gols sofridos, sendo cinco desde que o futebol foi retomado. Seguida por Luccas Claro e Digão, que sofreu cinco nos mesmo sete jogos.

Confira o ranking na tabela abaixo:

Duplas Total de Jogos Gols Sofridos
Nino e Matheus Ferraz 7 6
Luccas Claro e Digão 6 5
Nino e Digão 6 4
Digão e Matheus Ferraz 2 3
Luccas Claro e Matheus Ferraz 2 0

Compartilhe

Lucas Meireles

Jornalista formado pela UFRRJ, apaixonado por esportes e pelas boas histórias.

One thought on “Flu começa o Brasileirão empatado com a pior defesa da Série A no ano

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *