Análise Tática: alucinante no 1º tempo, Fluminense vence River na Argentina

Compartilhe

O mesmo River Plate, que surpreendeu a todos após vencer o Santa Fé mesmo com um jogador de linha no gol, acabou surpreendido pelo Fluminense. Com uma postura mais ofensiva e uma marcação mais agressiva, sobretudo no primeiro tempo, o Tricolor venceu  por 3 a 1 na Argentina.

Precisando de uma vitória diante do River para garantir a classificação para as oitavas, o técnico Roger Machado promoveu quatro mudanças no time titular do Fluminense. Samuel Xavier, Caio Paulista e Gabriel Teixeira entraram nos lugares de Calegari, Kayky e Luiz Henrique. Enquanto Egídio retomou a vaga de Danilo Barcelos na esquerda.

As mexidas de Roger deram certo, assim como a mudança de postura. Diferente de outros jogos pelo Torneio Continental, o Flu entrou concentrado, adiantando as linhas e pressionando o adversário em seu próprio campo. De acordo com dados do SofaScore, o Flu venceu 27 duelos pelo chão, três pelo alto, efetuou cinco desarmes e 12 interceptações. Com exceção dos desarmes, números acima da média das primeiras etapas dos últimos cinco jogos.

Você conhece nosso canal no YoutubeClique e se inscreva! Siga também no Instagram

Quando recuperava a bola, fazia uma transição rápida, trocando poucos passes até chegar próximo do gol dos Millionários. Com destaque principalmente para a movimentação de Caio Paulista.

Titular contra o River, Caio Paulista terminou como um dos destaques do Fluminense
Sem a bola, Caio Paulista usava o vigor físico para fechar a segunda pelo lado direito. Enquanto que, quando o time tinha a bola, o camisa 17 se projetava pelo centro como um segundo atacante. Além do gol, jogador teve participação na expulsão de Jonathan Maidana no segundo tempo (Foto: Lucas Merçon/Fluminense Football Club)

No primeiro gol, entretanto, quem abriu na direita foi Fred. O capitão recebeu de Samuel Xavier — que fez uma partida segura — e enxergou a infiltração de Caio Paulista pelo meio da área.

Fred vive noite de garçom

A movimentação de Fred também chamou a atenção. O centroavante já vinha, em 2021, saindo mais da área e abrindo espaço para infiltração dos atacantes de lado. Mas, diante do River, o camisa 9 executou esse papel com perfeição, recebendo destaque até da FIFA.

Movimentação de Fred contra o River
Mapa de calor mostra que Fred atuou mais na intermediária do que na área. Centroavante teve chance de marcar, mas quase não alcançou o cruzamento de Egídio (Foto: Reprodução/SofaScore)

No segundo gol, por exemplo, Fred recebe de costas para o gol e, ao puxar a bola em direção a intermediária, atrai dois marcadores. O capitão então demonstra toda sua calma e categoria no lançamento para Nenê, que se projetou no espaço vazio nas costas da marcação argentina.

Nenê comemorando o segundo gol do Fluminense sobre o River
Nenê entrou com muita liberdade quando o Flu tinha a bola. Meia apareceu na direita, pelo centro e pela esquerda, por onde fez o gol. Além disso, quase marcou um golaço de falta no primeiro tempo (Foto: Lucas Merçon/Fluminense Football Club)

Com um a mais, Fluminense segura River no segundo tempo

Com o placar favorável, havia a expectativa de que o Flu voltasse com a postura que vinha adotando no primeiro tempo em jogos anteriores. Mas o Tricolor mostrou que queria definir a partida. Logo nos primeiros minutos, após mais um passe de Fred no meio-campo, Yago Felipe — o ‘motorzinho’ do time já há alguns jogos — apareceu como elemento-surpresa pela esquerda e acertou o travessão.

Desesperado, o River tentava pressionar. Nem mesmo com a expulsão de Maidana, o time do técnico Marcelo Gallardo deixou de buscar o ataque. O gol dos Millionários, no entanto, saiu em uma desatenção do Fluminense.

Gol do River sobre o Fluminense
Em uma tomada rápida e equivocada de decisão, Luiz Henrique — que havia entrado no lugar de Caio Paulista — afunilou para tentar cortar o lançamento. Mas, ao não conseguir interceptar, deixou o meia Alvarez com muito espaço para cruzar. Na sequência, Luccas Claro ficou olhando a bola e deixou Girotti se antecipar (Frame: Reprodução/Conmebol TV)

O argentinos finalizaram mais que na primeira etapa (nove contra cinco). Mas, a não ser pelo gol de Girotti, não conseguiram levar perigo. Enquanto o Fluminense conseguiu matar o jogo no contra-ataque. O uruguaio Abel Hernández — que entrou no lugar de Fred — teve calma e inteligência para esperar a subida de Yago, novamente pelo lado esquerdo.

Próximo jogo

Com a vitória sobre o River Plate, o Fluminense se garantiu no mata-mata da Libertadores em primeiro do Grupo D. Desde que voltou a disputar o Torneio, em 2008, o Tricolor passou da fase em todas as participações.  Além disso, se tornou o segundo clube e Roger o primeiro treinador brasileiro a vencer tanto o Boca em La Bombonera quanto River no Monumental de Nuñez.

O River, mesmo com a derrota, se classificou em segundo porque o Junior Barranquilla não saiu do 0 a 0 contra o Santa Fé. Agora, o Torneio entra em um hiato por causa da pausa para a disputa da Copa América. O Flu então volta as atenções para as estreias na Copa do Brasil e no Campeonato Brasileiro.

ST

Lucas Meireles


Compartilhe

Lucas Meireles

Jornalista formado pela UFRRJ, apaixonado por esportes e pelas boas histórias.

3 thoughts on “Análise Tática: alucinante no 1º tempo, Fluminense vence River na Argentina

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.