Tricolor de coração, Jô Soares morre aos 84 anos e Fluminense presta homenagem

Compartilhe

O Brasil acordou mais triste nesta sexta-feira (05) com a notícia da despedida do apresentador, ator, dramaturgo, escritor, humorista, ex-radialista e tricolor de coração, Jô Soares. Torcedor declarado do Flu, Jô faleceu aos 84 anos por volta das 2h25 da madrugada no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. A causa da morte, no entanto, não foi divulgada.

Nascido em 1938, Jô Soares cresceu em uma família de tricolores na Zona Sul do Rio. Um dos mais celebres nomes da história da Comunicação do país, o profissional nunca escondeu a torcida pelo Flu.

Você conhece nosso canal no YoutubeClique e se inscreva! Siga também no Instagram

Em 1995, por exemplo, começou o programa Jô Onze e Meia com uma camisa do Fluminense para comemorar o título do Cariocão. O apresentador também colocou um boné do clube durante a abertura do Programa do Jô após a conquista do Tri do Brasileiro em 2010.

Jô Soares com um boné do Fluminense
“Vocês sabem que eu sou Fluminense, mas não sou fanático…”, disse o apresentador que então colocou o boné na cabeça e continuou “não é verdade!? Que beleza!”, completou sob aplausos da plateia (Foto: Reprodução/TV Globo)

Já em 2014, Jô Soares recebeu uma camisa tricolor do atacante Walter, então no Fluminense. O jogador havia perdido 14 quilos, mas não escapou das piadas do antigo idealizador do programa “Viva O Gordo”.

Jô Soares recebendo a camisa tricolor de Walter
Jô brincou que por ser a antiga de Walter, a camisa “daria nele” (Foto: Reprodução/TV Globo)

“Que bom que você está no meu Fluminense. Fico feliz da vida. Mas eu torço por você — você como ex-gordo e eu, gordo — em qualquer time. Só que eu me permito dizer ‘ai gordo, vai!'”, brincou Jô.

Nos últimos anos, contudo, Jô Soares disse ter se desvinculado “da paixão clubística” pelo Tricolor. Em entrevista ao programa Bola da Vez, da ESPN, o comunicador disse se interessar mais pela qualidade e admitiu gostar mais de ver jogos do futebol europeu, principalmente o inglês.

“Não fui eu que me afastei do Fluminense, foi o Fluminense que se afastou da gente, porque não dá para torcer por um time que de repente pinta um jogador como Gustavo Scarpa e não sei nem o que levou”, criticou como torcedor.

Fluminense lamenta a morte do tricolor Jô Soares

Nesta manhã, através das redes sociais, o Fluminense homenageou o ilustre tricolor Jô Soares.

“O Fluminense lamenta profundamente a morte do apresentador, humorista, ator e escritor Jô Soares, um dos principais nomes do cenário cultural brasileiro e Tricolor de coração. Desejamos muita força aos amigos e familiares”

Além de torcer para o Tricolor, Jô Soares viveu muitas outras histórias ligadas ao futebol. Ainda como torcedor, o jovem Jô esteve na semifinal e final da Copa do Mundo de 1950. Como humorista, imortalizou o bordão “bota ponta Telê” do personagem Zé da Galera que ‘cornetava’ o entãlo técnico da Seleção, Telê Santana, antes da Copa de 1982. E, como jornalista, participou da cobertura das Copas de 1994 e de 2018. Além disso, realizou diversas entrevistas com grandes nomes do futebol, como o Rei Pelé, por exemplo.

ST


Compartilhe

Lucas Meireles

Jornalista formado pela UFRRJ, apaixonado por esportes e pelas boas histórias.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.