Torcedor do Flu, narrador Paulo Stein morre aos 73 anos vítima da COVID19

Compartilhe

A mídia esportiva está de luto porque faleceu, neste sábado (27), o narrador e jornalista Paulo Stein, mais uma vítima da COVID19 no país. Torcedor do Fluminense, o profissional de 73 anos — que trabalhou para emissoras como a Manchete, SporTV e ESPN, por exemplo — estava internado desde quarta-feira. Por conta da idade, Stein seria vacinado na última sexta-feira (26), mas não resistiu a doença.

O jornalista deu entrada no Hospital Rocha Maia, em Botafogo, por conta de uma síndrome respiratória. No dia seguinte, o transferiram para o Hospital Anchieta, no Caju. Um dos centros de referência no tratamento para o novo coronavírus no Rio de Janeiro.

No entanto, Paulo Stein não resistiu as complicações da COVID19 e o narrador veio a óbito na manhã deste sábado. Informação dada em primeira mão pela ACERJ (Associação de Cronistas Esportivos do Rio de Janeiro).

Você conhece nosso canal no YoutubeClique e se inscreva! Siga também no Instagram

O corpo do profissional será cremado na tarde do próximo domingo (28) no Cemitério do Caju, em uma cerimonia reservada apenas para a família. Paulo Stein deixa a esposa, Viviane, além da filha, a também jornalista Natasha Stein. Nas redes sociais, o Flu prestou uma homenagem ao jornalista.

Narrador, diretor, apresentador, jornalista, colunista: A carreira de Paulo Stein

Nascido no Rio de Janeiro, Paulo Stein teve uma longeva carreira no jornalismo brasileiro. O profissional, que era torcedor declarado do Fluminense, começou a carreira no extinto Jornal dos Sports em 1968.

No ano seguinte, começou a trabalhar na Folha de São Paulo, onde permaneceu até 1978. Enquanto estava na Folha, Stein também trabalhou como repórter e comentarista na Rádio Tupi. Até que, em 1976, ingressou na Rádio Nacional.

Entretanto, o profissional se destacou principalmente pela narração. Dono de uma voz marcante, se tornou narrador pela primeira vez na TV Bandeirantes do Rio — onde também apresentou o programa Bola na Mesa.

Em 1983, chegou a extinta TV Manchete como diretor de esportes. Mas voltou a se destacar como locutor, sendo responsável por cobrir Copas do Mundo e Olimpíadas para o canal. Além disso, acabou virando um símbolo na cobertura do Carnaval Carioca ao narrar os desfiles das Escolas de Samba na Marquês de Sapucaí.

Paulo Stein também trabalhou como debatedor na TVE, apresentador nos canais ESPN e novamente como narrador no SporTV e Premiere. Além de trabalhar como professor na Faculdade Pinheiro Guimarães, no Rio, durante a década de 1990.

Paulo Stein no SporTV
Paulo Stein trabalhou para o Grupo Globo entre 2011 e 2019 narrando as partidas para São Paulo, mas deixou a empresa após uma reformulação (Framme: Reprodução)

De acordo com o Mapa da Universidade John Hoppinks — uma das referencias mundiais na contagem de casos e mortes pela COVID19 — o Brasil já registrou mais 12,4 milhões de casos e cerca de 307 mil mortes por conta do novo coronavírus.


Compartilhe

Lucas Meireles

Jornalista formado pela UFRRJ, apaixonado por esportes e pelas boas histórias.

2 thoughts on “Torcedor do Flu, narrador Paulo Stein morre aos 73 anos vítima da COVID19

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *