Nonato fala sobre momento vivido e avalia duelo contra Cruzeiro: “É um privilégio”

Compartilhe

Nesta quinta-feira (23/06), o Fluminense encara o Cruzeiro, no Maracanã, pelo jogo de ida das oitavas de finais da Copa do Brasil. Embalado pela boa vitória sobre o Avaí no fim de semana, o Tricolor vai em busca de conquistar um vantagem para o jogo de volta da eliminatória. Nesta terça-feira, o meia Nonato concedeu entrevista coletiva no CT Carlos Castilho e falou entre outros assuntos, sobre o duelo contra o Cruzeiro, da fase de titular e do momento da equipe na temporada.

Após acumular dois tropeços seguidos no Brasileirão, o Fluminense voltou a vencer com uma confortável vitória por 2×0 sobre o Avaí no domingo e subiu na tabela de classificação da competição. Na quinta-feira, será a vez da equipe comandada por Fernando Diniz entrar em campo pelo jogo de ida das oitavas de finais do Copa do Brasil contra o Cruzeiro. Titular no último jogo da equipe e numa crescente com Fernando Diniz, o meia Nonato vive a expectativa por entrar em campo mais uma vez pelo Time de Guerreiros. Em entrevista coletiva concedida nesta terça, o jogador falou sobre o momento da equipe:

Você conhece nosso canal no YoutubeClique e se inscreva! Siga também no Instagram

“Sabemos que todo início de trabalho vai ter um oscilação. Nosso time está comprando a ideia, estamos nos dedicando ao máximo não só nos jogos, mas também nos treinos para conseguirmos essa rápida adaptação e acho que conforme o tempo vai passando, o time vai evoluindo, as ideias vão ficando mais claras no decorrer dos 90 minutos. Nosso time tem muito potencial, temos a ideia na nossa cabeça e acreditamos muito que vamos ganhar essa consistência para conseguir chegar nessa próxima fase da Copa do Brasil”.

Nonato em entrevista coletiva no CT Carlos Castilho
Nonato em entrevista coletiva nesta terça-feira – Foto: Divulgação

Entrevista completa:

Novas oportunidades no time titular

“Todo jogador quer estar atuando e comigo não é diferente. Eu estou buscando meu espaço no dia a dia, tentando mostrar o meu valor, assim como todos. Tive essa oportunidade, fiquei muito feliz. Ainda mais com a vitória, que foi boa pra consolidar a boa atuação não só minha, como da equipe toda. Nosso time está evoluindo, está numa crescente. Vamos ter algumas oscilações, até mesmo dentro da partida, mas o nosso objetivo é diminuir ao máximo para ter a consistência que o Diniz quer”.

Dupla com André no meio e funções dentro de campo

“Ele (Diniz) me dá a liberdade de chegar ao ataque como gosto de fazer e tenho como característica. Mas ele pede também para sempre que a bola estar saindo de trás para eu estar fazendo a saída junto dos zagueiros, dos volantes e dos laterais, porque isso é o ponto chave do esquema dele. O time normalmente sai com qualidade de trás, então quem está nessa função precisa dar essa qualidade para o time, independente de quem seja pois temos jogadores muito qualificados no meio de campo. Ele dá essa liberdade para chegar ao ataque, mas tem que estar sempre atento também na construção e na recomposição que é um fator chave no jogo dele”.

Permanência ou não no Fluminense

“Ainda faltam alguns meses (para o fim do empréstimo). Estou feliz aqui, fui muito bem acolhido e abraçado pelos companheiros desde a minha chegada. É um clube que se não me engano, vou completar agora no final do mês que vem, um ano. Só tenho palavras para agradecer o clube, é claro que ainda faltam alguns meses para tomar essa decisão que não vem só de mim, depende de algo muito maior do que só a minha vontade. Posso afirmar que estou muito feliz aqui, com a cabeça totalmente focada no Fluminense e em ajudar essa equipe até onde eu puder”.

Empréstimo de Nonato com o Flu possui validade até o fim deste ano – Foto: MARCELO GONÇALVES / FLUMINENSE F.C

Peso do jogo contra o Cruzeiro na Copa do Brasil

“É um privilégio. Estamos podendo jogar uma competição deste tamanho e contra uma equipe que tem uma tradição muito grande. Independente do momento que eles passam hoje, é uma equipe gigante no futebol nacional e que impõe muito respeito. Mas o Fluminense também é campeão da Copa do Brasil e a gente sabe da nossa responsabilidade e do nosso potencial, e onde a gente pode e quer chegar”.

Dificuldade da Copa do Brasil

“É muito subjetivo falar em dificuldade porque nenhum torneio é fácil, independente de quem esteja. Pode ser que esse ano esteja um pouco mais elevado o nível, mas independente de quem estiver pela frente, nosso foco vai ser fazer dois bons jogos, não só ganhar mas merecer essa classificação e fazer por onde. Esse é o nosso foco e estamos muito focados nisso”.

Aposentadoria de Fred

“O Fred infelizmente teve esse problema que atrapalhou ele, que acabou perdendo quase um mês de treinamento, de convivência. Senti a falta dele. Agora que ele tá junto, é um privilegio poder participar desse momento com ele. Não digo que vai ser um momento triste, porque vai ser um recomeço na carreira dele. Ele vem levando isso numa boa, sempre com bom humor, sempre tentando ajudar. Não só nos trabalhos, mas nos bastidores também. Você vê ele gritando do banco de reservas, como fez nesse jogo contra o Avaí. É uma figura que impõe muito respeito também. É um grande jogador, isso não tem como engar, mas além disso é uma grande pessoa que tem a admiração e o carinho de todos aqui no clube”.

Nonato vem tendo melhores números de participações em gols de sua carreira – Foto: Reprodução

Números na temporada

“Acredito que sim (melhor temporada da carreira), nunca tive essa quantidade de participações em gols, fico muito feliz de estar me superando e batendo minhas próprias metas que para mim o que importa é estar melhor do que eu fui ontem. Ainda tem muito ano pela frente, tenho muita lenha para queimar ainda e que sejam mais participações”.

Críticas ao jogadores (em especial a situação de Wellington)

“Antes de mais nada, a gente sabe que como atletas, estamos sujeitos a críticas e elogios. A tudo que pode nos afetar externamente. Antes de começar a trabalhar com o Wellington, já tinha enfrentado ele algumas vezes desde 2018, 2019. Acompanhei muito na época do São Paulo e era um cara que eu tinha muita admiração. Não sabia como era a pessoa dele, mas admirava muito, já até falei isso pra ele. A partir do momento que comecei a trabalhar com ele, pude ter esse privilegio que é conhecer a pessoa que é o Wellington e saber como ele leva a vida profissional e pessoal. Viramos amigos, saímos juntos, nossas famílias se conhecem”.

“É um cara que trabalha muito, chega cedo, sai tarde, está sempre fazendo algo a mais na academia. No jogo, as pessoas criticarem X ou Y, mas quando você vê o quanto a pessoa se doa no dia a dia, a visão que você tem dela é totalmente diferente. Já passei por isso varias vezes no Inter, é natural, temos que lidar. A forma como eu vejo o Wellington talvez não seja a forma como outras pessoas que não convivem com ele veem ele. Quem convive com ele sabe o quanto ele se entrega e quer o bem do Fluminense. Por jogarmos na mesma posição, me dá muitas dicas, já viveu mais que eu no futebol e sabe o que vou passar. Fala muito comigo, Martinelli, Yago, André. É um cara que entende da posição. Entre nós jogadores é um cara de grande valor”.

Reencontro de jogadores do Flu que já passaram pelo Cruzeiro no confronto de quinta-feira

“Começamos a focar no Cruzeiro desde o treinamento de ontem, apesar de ser um treino regenerativo. Ainda não tivemos aquela conversa sobre a equipe deles, focamos mais no nosso jogo e amanhã vamos abordar mais esse lado. Sabemos a importância e o peso desses caras que são multicampeões por onde passaram e o que eles agregam no time, não só atuando mas passando uma palavra de apoio ou um toque de atalho durante uma partida. Então, nós que estamos nesse meio sabemos a importância deles no elenco”.

ST


Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.