Chefe do Gabinete de Crise da Prefeitura do Rio fala sobre retorno do futebol.

Compartilhe

O futebol ainda tem um longo caminho pela frente no que se refere ao retorno dos times aos gramados e a autorização para que os clubes voltem aos treinos presenciais é só o primeiro passo para tal. Chefe do Gabinete de Crise da Prefeitura durante o combate ao COVID-19, Gutemberg de Paula Fonseca, deu uma entrevista ao Lance destacando a conciliação entre os clubes e a FERJ em relação ao planejamento da volta do futebol:

– Não estamos pensando inicialmente em quando o futebol vai voltar. A nossa preocupação é na maneira como os clubes tendem a retornar às suas respectivas rotinas. Os debates foram centralizados em relação a isto. Depois, enviamos o protocolo de segurança da FERJ, o “Jogo Seguro”, ao nosso Conselho Científico e as medidas foram consideradas as melhores possíveis para a retomada. Há um zelo muito grande com os atletas, comissões técnicas e funcionários dos clubes.

Perguntado sobre a pressão feita pelo Governo Federal para que o esporte retorne, Gutemberg de Paula Fonseca negou que isso tenha tido efeito para a volta iminente do futebol. Ademais, ele afirmou que a prefeitura fará fiscalizações dentro dos clubes e que o esporte é primordial na ajuda ao combate do novo coronavírus.

Você conhece nosso canal no YoutubeClique e se inscreva! Siga também no Instagram

O secretário disse que os clubes têm uma importância também nesse combate à doença e que todos eles passarão por diversos protocolos para que tudo saia da maneira mais segura, confira:

– Chamou muito a atenção a certeza de que, nesta volta aos seus treinos, os clubes passarão a ser também fundamentais para o combate à pandemia. Haverá a testagem frequente dos jogadores, da comissão técnica, dos funcionários, com o objetivo de detectar quem está infectado, quem é assintomático… As equipes também se comprometeram a fazer testagem nas comunidades que cercam seus respectivos CT’s.  Claro que clubes de menor investimento não terão as mesmas condições de arcar com exames para COVID-19. Por isto, a FERJ se dispôs a oferecer testes para estas equipes. Todo este monitoramento trará uma contribuição significativa para toda a população do Rio de Janeiro e ajudará a prevenir um aumento da propagação do vírus.

Gutemberg também comentou sobre a posição do Botafogo e do Fluminense de oposição a volta do Futebol:

– Não vejo nada de errado em tomarem a posição que acharem melhor.  Porém, podem lidar com problemas de ordem técnica posteriormente, quando as competições voltarem.

A FERJ juntamente com os clubes interessados ao retorno do futebol chegaram a articular uma possível volta dos jogos no meio de junho, o secretário também falou sobre esse parecer:

– Acho precipitado estabelecer uma data para volta dos jogos. Nossa prioridade é ajustar a maneira como as atividades vêm sendo retomadas. Ninguém falou com clareza sobre os protocolos das partidas em estádios. Teremos ainda muitos debates com clubes e a Federação até definirmos passo por passo.

ST

Fonte: Lance


Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *