Análise: Veja quantos minutos cada jogador defendeu a armadura tricolor na temporada 2020

Compartilhe

Com altos e baixos, o Fluminense conseguiu terminar a temporada com uma vaga na Libertadores, competição que o clube não disputava há oito anos. Apesar de terminar a época em alta e com o elenco fechado em busca da vaga no torneio internacional, o time das Laranjeiras teve seu momento ruim quando saiu precocemente da Copa do Brasil e Sul-Americana. Além desses campeonatos, o Flu disputou o Brasileirão e o Carioca.

Juntando essas quatros competições, o Time de Guerreiros entrou em campo 62 vezes. Saiu vitorioso em 30 partidas, empatou 15 vezes ao longo da temporada e perdeu 17 no total.  Quando o assunto é invencibilidade, o maior número de jogos que o Flu ficou sem perder durante a temporada foi nove partidas, feito conseguido pelo agora auxiliar técnico Marcão.

Em relação aos jogadores, o Fluminense usou 42 atletas ao longo das competições. O goleiro Muriel, que era titular no começo da temporada, mas acabou indo para o banco de reservas, disputou os quatro campeonatos. O camisa 27 do Flu participou de 41 jogos no total, ficando em campo 3.690 minutos e levou 40 gols. Mas depois da eliminação da Copa do Brasil contra o Atlético-GO – onde o arqueiro foi duramente criticado pela torcida – Muriel acabou perdendo espaço ao longo do tempo e deu lugar a Marcos Felipe.

Você conhece nosso canal no YoutubeClique e se inscreva! Siga também no Instagram

Cria de Xerém, o jovem goleiro deu seu pontapé inicial como titular no jogo contra o Red Bull Bragantino, pela 23ª rodada do Brasileirão. De lá para cá, o arqueiro disputou 19 partidas, ficando em campo 1.710 minutos e levou 22 gols. Marcos teve boas atuações ao longo da competição e acabou terminando a temporada com moral com a torcida e com Marcão, que apostou na sua titularidade desde o seu jogo de estreia, contra o Vasco, em São Januário.

Marcos Felipe e Muriel treinando no CT Carlos Castilho. Foto: Lucas Merçon/FFC

DEFENSORES

Na zaga, quem mais atuou foi o zagueiro Luccas Claro. O camisa 4 disputou 42 jogos – juntando todas as competições da temporada – marcando seis gols. Pelo Brasileirão, Luccas balançou as redes duas vezes, levou apenas quatro dribles em todo Campeonato Brasileiro e não cometeu nenhum erro defensivo. Com isso, foi eleito por muitos jornalistas para a seleção do campeonato. Na temporada, foram 3.612 minutos em campo.

O segundo defensor a ficar mais tempo em campo pelo Flu foi Nino. O zagueiro disputou 40 jogos na temporada, balançou as redes quatro vezes e ficou 3.563 minutos no gramado. Diferentemente do seu parceiro de zaga, Luccas Claro, Nino recebeu cinco cartões amarelos e foi expulso em um jogo – todos pelo Brasileirão.

Matheus Ferraz participou de 27 partidas do Fluminense, sendo 14 pelo Brasileiro, três pela Copa do Brasil e 10 no Carioca. O zagueiro marcou apenas um gol, que foi contra o Fortaleza pelo último jogo da temporada. Outro defensor que foi utilizado pelo Flu, foi Digão, que atualmente joga no Buriram United da Tailândia. Quando defendia o tricolor, disputou 22 jogos ficando no gramado 1.863 minutos. Marcou dois gols no ano de 2020.

Outro zagueiro que também marcou presença nessa reta final foi Frazan, que atuou em uma partida ficando em campo 19 minutos.

Luccas Claro e Matheus Ferraz no treinamento no CT Carlos Castilho. Foto: Mailson Santana/Fluminense FC

Quando assunto é lateral, Egídio foi quem mais jogou. Em sua primeira temporada pelo tricolor, o camisa 6 disputou 39 jogos, sendo dois pela Sul-Americana, 20 pelo Brasileiro, seis jogos na Copa do Brasil e 11 no estadual. Não balançou as redes, mas deu sete assistências só pelo Brasileirão. No total, Egídio ficou em campo 3.436 minutos.

Outro lateral que atuou bastante na temporada foi Igor Julião. O atleta de 26 anos, atuou 25 vezes, juntando Copa do Brasil, Carioca e Brasileiro. Sendo que em sete oportunidades foi substituído ao longo da partida. No total, o camisa 21 esteve em campo em 1.876 minutos.

Gilberto, que foi negociado com o Benfica-POR em agosto, também deve ser destacado na temporada de 2020. O lateral teve oportunidade de mostrar seu futebol em 18 ocasiões – Copa do Brasil, Sul-Americana e Brasileirão – ficando em campo 1.536 minutos e anotou três gols.

No meio da temporada, o Fluminense contratou Danilo Barcelos, que estava no Botafogo. Ele herdou a camisa 14 e teve um bom início com a camisa do Flu. Marcou um gol, no empate em 2 x 2 contra o Ceará, em 17 jogos na temporada. Teve 1.530 minutos usando a armadura tricolor.

Outro lateral que foi um dos destaque da equipe ao longo da temporada, foi o jovem Lucas Calegari. O camisa 31 do Flu, teve participação em 25 partidas na temporada ficando em campo por 2,219 minutos e já é considerado um xodó da torcida.

Por fim, dois laterais que vestiram a camisa verde, branco e grená foram: Wisney – disputou dois jogos por nove minutos – e Daniel que só entrou em campo por um minuto.

MEIAS / VOLANTES

Aqui temos quem mais vestiu a camisa do Flu na temporada: o veterano Nenê. O camisa 77 foi o artilheiro da equipe com 20 gols. No total, participou de 52 jogos ficando em campo 3.955 minutos. Realizou sete assistências ao longo da temporada. O segundo que mais defendeu o Flu nesta temporada foi o volante Yago Felipe. O camisa 20 disputou 47 jogos no total ficando em campo 3.049 minutos. O volante fez três gols, sendo o mais emblemático contra o Flamengo, nos acréscimos da partida, dando a vitória ao Fluminense.

Hudson e Nenê no Centro de Treinamento Carlos Castilho. Foto: Lucas Merçon/Fluminense FC

Hudson, que ainda negocia uma possível permanência no tricolor, realizou 43 pelo Flu na temporada. Ficou em campo 3.163 minutos e marcou um gol, que foi contra o Madureira pelo Campeonato Carioca. Outro atleta que deixou Laranjeiras  mas jogou muito pelo clube foi o volante Dodi. Disputou 32 jogos e marcou um gol, que foi contra o Vasco na 6ª rodada do Brasileirão. Antes de rumar ao futebol japonês, atuou 2.612 minutos.

O camisa 10, Paulo Henrique Ganso, também teve seu momento na temporada. Participou de 32 partidas, ficando em campo 894 minutos. Balançou às redes apenas uma vez, na goleada de 4 x 0 contra o Coritiba. Já o volante Yuri disputou 26 jogos – Sul-Americana, Brasileirão, Carioca e Copa do Brasil – ficando em campo 1.593 minutos e foi substituído em 13 oportunidades.

Cria da base de Xerém, Martinelli apareceu como uma luva neste elenco. O jovem de 19 anos não sentiu o peso da camisa e entrou em campo 13 vezes, contabilizando 964 minutos. Balançou as redes três vezes, sendo duas delas no jogo contra o Goiás. Vale ressaltar que o volante subiu para o profissional no meio do Campeonato Brasileiro, estreando contra o Red Bull Bragantino na 23ª rodada.

Martinelli no jogo contra o Goiás no Estádio Nilton Santos. Foto: Mailson Santana/Fluminense FC

André, outro criar de Xerém, também teve oportunidade de mostrar seu futebol para torcida. Disputou no total 11 jogos com a armadura tricolor – Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro – ficando em campo 278 minutos.

Henrique, experiente volante que chegou do Cruzeiro, clube para qual já retornou logo no início da temporada, teve seu início de 2020 no Fluminense. O atleta teve apenas sete jogos pelo Flu, totalizando 617 minutos com a camisa verde, branco e grená.

Atualmente no Oeste, o meio campista Caio Vinícius só jogou dois jogos pelo clube carioca. Ficando em campo 24 minutos no Brasileirão. Os volante Nascimento e o atacante Christian tiveram a oportunidade de entrar em um jogo. O primeiro ficou em campo por sete minutos contra o RB Bragantino e o segundo atuou apenas por um minuto no jogo contra o Goiás.

Por último mas não menos importante, o meia Miguel, jovem que a torcida pede para ter mais oportunidades de mostrar seu futebol, esteve em campo em 15 jogos. Cria de Xerém, o jovem ainda não marcou gol no profissional. Atuou por 520 minutos e seu último jogo pelo Flu foi na derrota para o São Paulo por 2 x 1, em dezembro do ano passado.

ATACANTES

Quando assunto é atacante, quem mais jogou pelo Flu na temporada foi Marcos Paulo. O jovem que já está vendido para o Atlético de Madri, disputou 42 jogos pelo tricolor. Juntando as quatros competições, o atleta de 20 anos balançou as redes oito vezes e ficou em campo 2.349 minutos. Seu último jogo foi no clássico contra o Botafogo em janeiro deste ano.

O uruguaio Michel Araújo entrou em campo 40 vezes, totalizando 2.196 minutos. Participou da Copa do Brasil, Sul-Americana, Carioca e Brasileirão. Marcou um gol no jogo contra o Coritiba no Estádio Nilton Santos. Outro gringo que chegou na temporada foi o peruano Fernando Pacheco. O jogador de 21 anos disputou 30 jogos pelo Flu – Brasileirão, Copa do Brasil e Estadual – e ficou em campo 941 minutos. Balançou as redes uma vez no confronto contra o Vasco pelo Carioca.

Wellington Silva, que já está negociado para o futebol japonês, entrou em campo 35 vezes, totalizando 1.939 minutos. Nessa passagem pelo Flu, marcou seis gols. Sua última partida foi contra o Botafogo, em janeiro deste ano, onde se emocionou na entrevista pós jogo.

O ídolo Fred, marcou presença nos gramados em 28 jogos, todos pelo Brasileirão. Na última temporada, o camisa 9 balançou as redes cinco vezes e ficou em campo 1.699 minutos. Referência dentro e fora dos gramados, o atacante marcou no último jogo do Flu na temporada.

Comemoração no último gol do Fred na temporada. Foto: Lucas Merçon/Fluminense FC

Cria da base de Xerém, Luiz Henrique subiu para o profissional e desde então, o camisa 34 participou de 28 jogos, juntando Campeonato Brasileiro e Copa do Brasil, e marcou duas vezes, totalizando 1.361 minutos. Vale ressaltar que, o gol da vitória no jogo contra o Bahia, fora de casa, foi dele.

O atacante Felippe Cardoso teve oportunidades do sobrar para mostrar o seu futebol para a torcida. Bastante criticado, o camisa 19 já foi comunicado que não fará parte do elenco para a próxima temporada. Mas na última, participou de 27 jogos – Brasileirão, Copa do Brasil e Campeonato Carioca – ficando em campo 840 minutos. O atleta de 22 anos balançou as redes três vezes Seu último jogo como jogador do clube foi no empate 3 x 3 contra o Coritiba, em janeiro deste ano, fora de casa.

Evanilson, que era esperança da torcida para ser o comandante do ataque, deixo o Flu em setembro do ano passado para o Porto-POR, mas os torcedores puderam comemorar seus gols com a camisa tricolor. No total foram oito em 22 jogos. Marcou presença no campo por 1.573 minutos. Vale recordar que, seu último jogo defendendo as três cores foi no empate em 1 x 1 contra o Atlético-GO, pela Copa do Brasil.

No final de setembro do ano passado, veio o atacante Lucca. O atleta de 31 anos jogou apenas o Brasileirão e disputou 18 jogos. No total, foram 977 minutos e anotou três gols.

Lucca comemorando seu gol no jogo contra o Santos, fora de casa. Foto: Mailson Santana/Fluminense FC

Caio Paulista, que quando chegou foi bastante questionado pela torcida, foi utilizado em 32 jogos, balançou as redes três vezes e ficou em campo 822 minutos. Na grande maioria das vezes que foi acionado pelo treinador, foi quando estava no banco de reservas. Foi titular em apenas quatro ocasiões.

John Kennedy, é mais um atleta considerado como uma joia, subiu para o profissional na reta final do Brasileirão. O atleta de 18 anos fez sua estreia no empate em 3 x 3 contra o Coritiba, fora de casa, marcando um dos gols da partida. De lá para cá, o jovem jogador foi utilizado em sete partidas, totalizando 276 minutos. Até o momento, guardou a bola no fundo da rede duas vezes.

Outro jogador que é considerado promessa é o atacante Samuel. Apelidado de Granada, o atleta subiu para o profissional no jogo contra o Goiás, pela 33ª rodada do Brasileirão. Entretanto, marcou o seu primeiro gol com a camisa do tricolor na sua segunda partida, contra o Ceará, no Castelão. Até o momento, Samuel participou de dois jogos, ficando em campo 23 minutos.

Samuel comemorando seu primeiro gol no profissional. Foto: Lucas Merçon/ Fluminense FC

Matheus Alessandro, que teve oportunidades no início da última temporada, disputou sete jogos pelo Fluminense, totalizando 339 minutos em campo. Marcou presença na Sul-Americana e no Campeonato Carioca. Foi emprestado ao Botafogo-SP para a disputa da Série B de 2020. Seu contrato com o Flu já expirou, não foi renovado e ele procura novos ares.

O atacante Lucas Barcelos, que hoje está empresado ao Confiança, defendeu as três cores em quatro jogos na última temporada, todas pelo estadual. Não marcou nenhum gol e ficou nas quatro linhas por 272 minutos. Outros que tiveram oportunidade foram: Gabriel Capixaba – dois jogos, 65 minutos em campo; Pablo Dyego – dois jogos, atuou por 50 minutos; Matheus Prato – uma partida e ficou no gramado por um minuto.

Foto Destaque: Lucas Merçon / Fluminense FC


Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.