Dirigente terá de indenizar Abel em R$ 50 mil – Técnico doará às famílias das vítimas do incêndio no Ninho do urubu

Compartilhe

Abel Braga não deixou saudade em sua última passagem pelo Flamengo. Mas, por outro lado, aconteceu um episódio polêmico onde foi chamado de “bêbado” e “drogado” por um dirigente flamenguista. Por conta disso, o treinador entrou com processo contra o autor da fala. As informações foram dadas pela jornalista Gabriela Moreira.

O então vice de Relações Externas do Flamengo, Luiz Eduardo Baptista, em uma entrevista a um blog em 2020, ofendeu a honra de Abel quando o chamou de “bêbado” e “drogado”.

Confira o que foi dito pelo dirigente do Flamengo na entrevista.

Você conhece nosso canal no YoutubeClique e se inscreva! Siga também no Instagram

“houve um momento em que a gente achava, e que a gente discutia internamente entre a gente, que ele devia tá (sic) de sacanagem. A gente olhava ele dando entrevista e a gente falava: “cara, tem alguma coisa que a gente não tá entendendo. Ou ele bebeu, ou ele tá drogado. Não é possível que ele teja (sic) falando o que ele tá falando”

Foto: Juliana Flister/AFP

A sentença foi proferida pela 4ª vara cível, do fórum regional de Pinheiros, em São Paulo. Contudo, cabe recurso ao autor das ofensas.

Para a juíza Marina Balester Mello de Godoy, o dirigente rubro-negro extrapolou nas críticas no que diz respeito a parte técnica e passou para ofensas pessoais. Lembrando que, quando se ofende o indivíduo acaba perdendo o direito de se expressar. Segundo a magistrada, o dirigente flamenguista “ usurpou a liberdade de expressão”

Confira trecho da sentença:

“Em que pese o réu alegue que não tinha a intenção de ofender o autor e até já se retratou publicamente a respeito, está evidente que, adequadamente contextualizada, a declaração feita, mesmo que de modo informal, excedeu a mera crítica às escolhas técnicas do autor e usurpou a liberdade de expressão, porque, ao se questionar a sobriedade ou o uso de drogas pelo autor durante o exercício de sua profissão, durante uma entrevista, causou-lhe ofensas à honra e à sua reputação como treinador, mormente por ser figura pública e renomada no meio futebolístico. Não bastasse isso, as declarações foram feitas em canal acessível ao público, propagando-se rapidamente e causando significativa repercussão negativa, a evidenciar o cunho ofensivo das falas do réu

Em contato com a jornalista Gabriela Moreira, do Globo Esporte, o treinador tricolor disse que doará a indenização às famílias dos atletas que faleceram no trágico incêndio do ninho do urubu.

St, Guilherme Soeiro


Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.