Lembra dele? Ex-Flu, ídolo no Rosário Central e Panathinaikos, relembramos a passagem Equi González pelo tricolor

Compartilhe

Você é um tricolor raíz e fanático? Que acompanha o time sempre e que lembra de cada jogador que jogou com a camisa tricolor? Se você se identifica com essa frase, com certeza irá se lembrar de Ezequiel González, ou simplesmente Equi González.

Para você que não lembra ou não ouviu falar, o jogador foi um meia argentino que jogou no Flu nos anos de 2009 e 2010, ou seja, foi campeão brasileiro com o Flu e participou da histórica campanha contra o rebaixamento. Porém, devido ao seu histórico de lesões, nunca teve uma boa sequência de jogos com Cuca e Muricy Ramalho. Na sua apresentação, ele falou o seguinte:

– “Logicamente na Argentina conhecemos todos os jogadores sul-americanos que triunfaram. Espero defender bem a camisa que foi do Romerito”, disse Equi por usar a camisa 7 que era do ídolo tricolor.

Você conhece nosso canal no YoutubeClique e se inscreva! Siga também no Instagram

– “É um momento difícil, mas conversei com Branco nos últimos dias, ele me explicou o desafio, resolvi encarar e temos muitas chances de mudar essa situação. Confio no meu potencial e vou fazer o melhor para ajudar o Fluminense. Não entra na minha cabeça que não vamos reverter a situação. Estou convencido de que vamos nos levantar. Vou usar minha experiência e meu jogo para o bem da equipe”, finalizou.

Após sua chegada, em agosto de 2009, com contrato de um ano e meio, Equi chegou a ser titular em alguns jogos. Porém, nunca chegou a ser um titular incontestável. Em 2010, foi submetido a uma artroscopia no joelho esquerdo, o que deixou fora por um tempo.

O contrato do meia terminou no fim de dezembro de 2010 e ele não foi aproveitado pelo Fluminense. Aos 30 anos, chegou ao tricolor em 2009 e participou de algumas partidas na espetacular arrancada que salvou o clube do rebaixamento para a Série B.

Em 18 jogos pelo tricolor, ele marcou dois gols, um emblemático de falta contra o Goiás no Serra Dourada, partida que terminou em 2×2. E outro contra o Grêmio, de perna esquerda, no Maracanã, onde o Flu foi eliminado pela Copa do Brasil em 2010. O jogo terminou 2×3 para o time do sul.

Após deixar o tricolor, acertou com a LDU e jogou lá por 2011, onde conquistou o segundo lugar na Copa Sulamericana daquele ano, quando sua equipe caiu na Universidade do Chile . Ele jogou 11 dos 12 jogos da competição internacional e marcou um gol. No final da temporada, seu vínculo foi rescindido e foi quando pendurou as chuteiras. Apesar de ter uma carreira de sucesso no futebol argentino, sendo campeão da Copa Libertadores pelo Boca Juniors em 2003 e ser admirado pela torcida do Rosario Central, pelo qual já teve três passagens, Equi teve muitos problemas na carreira por conta das lesões que sofreu.

INÍCIO PROMISSOR NA CARREIRA

Equi González, desde a base, foi considerado um grande jogador e possível craque. Com grandes apresentações, logo subiu para o elenco profissional. Começou a jogar profissionalmente pelo Rosario Central em 1997. Apesar de ter pouco tempo para se adaptar ao estilo de futebol argentino, não teve dificuldades para demonstrar suas qualidades. Em pouco tempo, conquistou seu espaço no clube e também a torcida, que ficava admirada com suas atuações e maestria com a bola no pés.

Além disso, em 1997, ele foi convocado por José Pekerman para disputar a Copa do Mundo de Sub-17 e, em 2000, fazia parte da equipe Pré-Olímpica para ir aos jogos de Sydney, embora a Argentina não se classificasse.

PRIMEIRA PARADA: ITÁLIA

Seu sucesso no clube azul e amarelo o levou a ser disputado por grandes clubes europeus, entretanto, preferiu a Itália, atuando pela Fiorentina, que pagou cinco milhões de dólares pela sua contratação. O clube estava na beira da falência e com isso, tornou as coisas difíceis para ele se firmar no Calcio. O seu talento estava presente para todos verem, mas era apenas o tempo errado de estar no time de Florença. No início de 2002, Equi retornou à Argentina para jogar no Boca Juniors nas temporadas 2002 e 2003, sendo campeão da Copa Libertadores nesse último ano com a equipe.

Após um ano, não renovou o contrato. Ele chegou a ser cotado, na sua chegada, como o sucessor de Riquelme, mas não vingou. Em seguida, retornou ao seu primeiro clube, o Rosario Central em 2003. Em uma breve, mas marcante passagem, o craque argentino teve um de seus melhores momentos.

MELHORES ANOS NA GRÉCIA

Em 2004, os gregos do Panathinaikos levaram o apoiador novamente para o futebol europeu, onde ele conquistou um Campeonato Grego e uma Copa da Grécia, além de outros títulos. Com o tempo, se tornou capitão e craque da equipe grega. O gringo se tornou um símbolo de craque aliado á técnica. Com belos gols e assistências, é considerado um dos maiores ídolos do clube, não só por estes motivos, mas também pela sua dedicação. Levou o clube para seguidas participações na Champions League, tendo assim, uma foto apertando a mão de Ronaldinho Gaúcho nos tempos de Barcelona.

Equi González sempre foi definido como um jogador com grande técnica, passando criatividade e grande influência para seus companheiros. Seu primeiro jogo na UCL (Setembro de 2004) foi o mais bem sucedido, já que ele marcou dois gols contra o campeão norueguês Rosenborg. Ele ainda marcou um golaço contra o Arsenal no mesmo ano. Confira:

Porém, Gonzalez rompeu um ligamento cruzado danificado durante o amistoso contra o Panathinaikos Athinon Apollon (1-0). Devido a esta lesão, jogou apenas uma partida durante a temporada 2006-07. Equi voltou de sua lesão, contra o Apollon Kalamarias (1-0), em 6 de janeiro de 2008. Mesmo assim, nunca mais foi o mesmo jogador. Ao fim da temporada europeia, os gregos anunciaram que não iriam renovar o seu contrato. Na época, os torcedores ficaram muito tristes com a sua saída. Em 27 de junho de 2008, foi confirmado seu retorno ao Rosario Central para a temporada 2008-09. Equi marcou só 4 gols e teve um período conturbado, cheio de lesões.

Depois de Flu e LDU, contado mais acima com detalhes Ezequiel González se aposentou do futebol. De vez em quando, é visto nos jogos do Panathinaikos torcendo e apoiando o clube que é considerado ídolo.

Equi com uma fã no estádio do Panathinaikos (Foto: Reprodução)
Equi com uma fã no estádio do Panathinaikos (Foto: Reprodução)

ST

João Eduardo Gurgel


Compartilhe

One thought on “Lembra dele? Ex-Flu, ídolo no Rosário Central e Panathinaikos, relembramos a passagem Equi González pelo tricolor

  • 20/04/2020 em 13:25
    Permalink

    Sempre curti bastante esse atleta. Um de muitos que vieram aqui numa fase ruim e que foram embora srm brilhar, infelizmente.

    Quando falarão do Asprilla, o cara que jogava com a gola levanrada?

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.