Fala, Professor: “A gente precisava ganhar de uma grande equipe para a nossa meta”

Compartilhe

Ailton Ferraz demonstrou novamente que costuma ter estrela quando o assunto é Fla-Flu. Em 1995, o então meia fez uma linda jogada e finalizou no gol de barriga de Renato Gaúcho. No entanto, é dele o nome que consta na súmula como autor. Nesta quarta-feira (06), o auxiliar que comandou o time porque o técnico Marcão testou positivo para COVID19 estreou com vitória no clássico.

Na coletiva pós-jogo, o comandante tricolor destacou principalmente a importância de manter a atenção. De acordo com Ailton, qualquer erro em um Fla-Flu pode custar o resultado.

“Dentro da proposta de transição, a gente abriu mão de jogar, e com isso o Flamengo foi bem no primeiro tempo. Fizemos um segundo tempo equilibrado onde conseguimos os gols. Eu tinha falado na palestra que futebol se decide nos detalhes. Se a gente se preocupasse com esses detalhes, iria conseguir sair feliz. Graças a Deus conseguimos porque os detalhes são esses, as falhas. Se você erra muito em um clássico como esse, você está muito perto de perder”, disse.

Ailton, aliás, também ressaltou a conversa que teve com os atletas no intervalo. Após uma apresentação ruim na primeira etapa, o Fluminense deixou o campo perdendo por 1 a 0. Mas, conquistou a virada na segunda etapa.

Você conhece nosso canal no YoutubeClique e se inscreva! Siga também no Instagram

“Sem dúvida que foram dois tempos distintos. Primeiro tempo a gente foi com uma proposta que conseguimos no segundo, que era jogar na linha média e procurar as infiltrações tanto do Michel quanto do Wellington Silva. E a gente no primeiro tempo não conseguiu. O Flamengo teve mérito, conseguiu colocar uma linha alta, pressionar o tempo todo, e nós ficamos muito acuados. No intervalo eu conversei com eles, falei de forçar essa situação das infiltrações e que a gente precisava jogar”, afirmou.

Confira o que disse Ailton Ferraz após o Fla-Flu:

Gosto especial na vitória sobre o Flamengo

“Sem dúvida, ainda mais em cima de um rival. Temos uma meta, e nossa meta é a Libertadores. Às vezes sem meta nenhuma você não sai do lugar. Estamos trabalhando forte para conseguir essa Libertadores. Hoje foi um caminho, começou no jogo de hoje. O Marcos Seixas (preparador físico) foi muito feliz quando ele falou antes do jogo que de repente a gente ia começar o caminho das vitórias hoje, e nós conseguimos. Time soube sofrer, batalhou até o fim, foi um time que guerreou o tempo todo, sangue nos olhos, e fomos premiados com o gol do Yago no final. Isso é mérito do grupo. Muito importante todos estarem focados para conseguirmos a vitória”

Estrela de Ailton no Fla-Flu

“Primeiramente sobre o tabu, isso é muito bom. A gente precisava ganhar de uma grande equipe para a nossa meta. Quebramos um tabu muito gostoso (oito jogos sem vencer o Flamengo pelo Campeonato Brasileiro), sem dúvida. Estamos felizes. Mas temos que virar a página”

Ailton Ferraz na coletiva após a vitória no Fla-Flu
Ailton Ferraz na coletiva no Maracanã (Foto: Mailson Santana/Fluminense Football Club)

Fred substituído

“Ele sentiu, não foi um desconforto, nada, estava ficando um pouco cansado e ele achou melhor sair. Ele já conhece o corpo dele, é um cara super experiente, correu além do que podia (risos). Tem se doado bastante, falei para ele que líder é isso aí, o que ele está fazendo. Líder tem que dar exemplo, e o Fred tem sido um exemplo para esses meninos”

Marcos Paulo no banco

“Decidimos colocar um outro time, abrir o Michel pelo um contra a um dele, faz bastante infiltração. Isso foi uma opção nossa mesmo, não tem questão de contrato nem nada. E graças a Deus deu certo. O Marcos também estava feliz, apoiando no banco. Eu falei da força do grupo nisso, jogando ou não o atleta tem que ser o mesmo. Não se faz contrato que alguém tem que ser titular sempre. Então o grupo é muito unido e o Marcos Paulo está dentro do processo”

Vitória importante

“Ganhar de uma equipe tão boa como a do Flamengo dá um gás a mais. A gente sabe a força do time deles. Nos doamos ao máximo. Se não correr contra eles, é derrota. Mas o importante é que não abdicamos de jogar. Foi o que fizemos e achamos o gol no final. Mas já vem o Corinthians, é uma nova página, outra pedreira por aí”

Jeito como treinador

“Sou um cara muito intenso, não paro, sou agitado. Costumo colocar pessoas do meu lado com muita velocidade também. Quando você passa vibração do lado de fora para o atleta, isso transmite uma coisa muito boa, ele vê que você está jogando junto. Foi o que a gente procurou fazer e vai fazer sempre”

Ailton à beira do campo no Fla-Flu
Embora tenha começado a partida com um ar mais compenetrado, Ailton Ferraz vibrou bastante com os gols do Tricolor no Fla-Flu (Foto: Mailson Santana/Fluminense Football Club)

Mensagem para Marcão

“Esqueci de falar do nosso Marcão, estou aqui suprindo a ausência dele. Está à frente desse trabalho, estamos andando juntos desde o sub-23. Graças a Deus ele está bem, quero mandar um abraço para ele”

Hudson e Yago Felipe

“Quanto ao Hudson e ao Yago. Yago é um meia, e Hudson tem essa saída, faz bem a infiltração. O que a gente queria era uma infiltração dos meias, que não estava acontecendo no primeiro tempo, e no segundo tempo aconteceu. ele faz bem essa infiltração. E há de convir que o time não estava tão fechado, não havia necessidade de jogar na frente, quem fez o gol foi o Yago. Estava lá na frente aos 40 e poucos minutos, se não me engano. Só para você ver que não são volantes fixos, eu chamo de meias de saída. A gente não joga tão retrancados quanto pensam. A gente trabalha essas infiltrações e tenho certeza vocês vão ver infiltração desses dois nos próximos jogos jogando de lado”

ST


Compartilhe

Lucas Meireles

Jornalista formado pela UFRRJ, apaixonado por esportes e pelas boas histórias.

3 thoughts on “Fala, Professor: “A gente precisava ganhar de uma grande equipe para a nossa meta”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *