Fala, jogador! – Yago Felipe: “Dar o sangue por essa camisa”

Compartilhe

Nesta segunda-feira, o volante Yago Felipe concedeu entrevista coletiva no CT Carlos Castilho. No que diz respeito ao Fluminense, o camisa 20 fez uma retrospectiva positiva do ano, disse que a saída de Odair foi uma prova de que o trabalho estava sendo bem feito e que a efetivação de Marcão tem toda a confiança do grupo.

Além disso, o jogador também falou sobre sua rápida recuperação após a lesão no joelho, projetou o duelo contra o Flamengo, próximo adversário do Flu, e também o restante da temporada. Para Yago Felipe, o Fluminense tem plenas condições de brigar por uma vaga na Libertadores.

Por fim, foi questionado sobre as críticas constantes de parte da torcida aos veteranos e se ele percebe alguma diferença em atuar ao lado de jovens ou atletas mais experientes.

Você conhece nosso canal no YoutubeClique e se inscreva! Siga também no Instagram

Retrospectiva 2020 e projeção para os últimos dois meses de Brasileiro

“Olhando para o ano no Fluminense, vejo com bom olhos. Mesmo com todas as situações adversas a gente deu uma resposta positiva, nos fechamos e conseguimos bons resultados logo após eliminações (Copa do Brasil e Sul-Americana). Acredito que temos tudo para fechar a temporada da melhor forma possível e vamos em busca disso.”.

Como avalia o primeiro ano no Fluminense

“Sou muito grato pela oportunidade. Toda vez que eu entro em campo, seja para treinar ou para jogar, faço o melhor. Essa clube é gigante e  procuro dar a resposta dentro de campo pela oportunidade e fazer o melhor junto dos meus companheiros. É um sentimento de gratidão.”.

Foto: Daniel Perpetuo/FFC

O que falta para o Fluminense retomar as boas atuações e, principalmente, a competitividade?

“Acho difícil pontuar algo específico. Cada partida tem as suas especificidades e cada uma é definida de uma forma. Pode ser no detalhe, bola parada… O que não pode faltar é a concentração, a dedicação, a força e a vontade de querer vencer, de querer continuar lá em cima na tabela. E a gente sabe disso. São 11 finais para nós e o grupo está bem focado nisso. Queremos o melhor para que a gente possa continuar disputando não só pela expectativa de torcedor, mas nós também aqui dentro estamos fechados para continuar fazendo uma grande campanha, que tenho certeza que vamos fazer.”

Como avalia o trabalho do Marcão e projeção para o jogo contra o Flamengo?

“”Fico muito feliz pela situação. Primeiro pelo Odair, porque isso mostra que o nosso trabalho estava sendo bom e reconhecido. Segundo pelo Marcão, uma oportunidade que ele recebeu e estamos muito felizes. Ele conhece muito bem o clube, né? É um ídolo. Tem a confiança não só da diretoria, mas de todos os jogadores, confiamos muito no trabalho do Marcão. Infelizmente ainda não conseguimos o resultado positivo, deixamos escapar algumas situações. Mas creio que vamos dar sequência no trabalho, todos estão na mesma ideia para possamos voltar a vencer o mais rápido possível e isso vai trazer confiança para o grupo. E espero que já no Fla-Flu, primeiro jogo do ano, a gente possa vencer e retomar a confiança.”.

Sobre o período parado até o jogo contra o Flamengo (06 de janeiro) e sobre a possibilidade de G-8

“É um ano atípico, né? No dia primeiro já vamos estar treinando visando o clássico. Tentamos na folga não ficar parado, para não perder o ritmo e também para não perder o foco. Então visando estar na parte de cima da tabela é um compromisso importante. Sobre a abertura de mais vagas é bom, mas temos que trabalhar para não precisar disso. Então vamos trabalhar para fazer nosso melhor e estar na parte de cima.”

Sobre sua recuperação física antes do previsto e sobre as diferenças entre atuar com jovens ou veteranos

“Fiquei muito feliz em poder voltar o mais rápido possível, trabalhei forte e sempre penso nisso. Toda oportunidade que eu tiver tenho que fazer o meu melhor, dar o sangue por essa camisa, pelo clube. Procuro fazer isso nos jogos e nos treinamentos. Independente das pessoas que estão sendo utilizados, temos que aproveitar o melhor de cada um. São caraterísticas diferentes, mas todos têm qualidade. Conhecemos o grupo muito bem e isso é um diferencial para dar tudo certo. Quanto as críticas, acredito que eles já estão acostumados com esse tipo de situação e que vão dar a resposta dentro de campo. Tenho certeza que eles têm experiência de sobra para lidar com isso e responder, junto com o grupo, dentro de campo.”.

O Fluminense volta a campo no dia 06 de janeiro, na partida contra o Flamengo, no Maracanã, pela 28ª rodada do Campeonato Brasileiro.

 


Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.