1995 – O mundo na época da Barrigada

Compartilhe

O Fluminense iniciava o ano de 1995 na seca, sem levantar uma taça há quase 10 anos. Super Ézio, Aílton e Renato Gaúcho eram as principais estrelas daquele ano, no time de Joel Santana. Diferentemente de hoje, o campeonato estadual tinha uma relevância expressiva, tinha 6 meses de duração e era o foco principal dos grandes do Rio.

O campeonato tinha 16 times, divididos em dois grupos e os quatro primeiros de cada grupo se classificavam para um octogonal final. O primeiro colocado do grupo, em cada turno, ganhava um ponto extra para a fase final.

Paralelo ao que acontecia no futebol carioca, o ano de 1995 foi marcante como um todo. No âmbito político, Fernando Henrique Cardoso iniciava seu governo como Presidente no Brasil. Bill Gates lançava o sistema operacional da Microsoft, o Windows 95. E foi nesse ano que a internet chegava de fato em nossas vidas, foi realizada a primeira transmissão a longa distância entre os estados (São Paulo e Rio Grande do Sul). Foi criado o Comitê Gestor da Internet a fim de coordenar e integrar todas as iniciativas de serviços de internet no país, promovendo então a “qualidade técnica”.

Você conhece nosso canal no YoutubeClique e se inscreva! Siga também no Instagram

No mundo do entretenimento os Mamonas Assassinas contagiavam o público com sua música e seu estilo inusitado de se apresentar e se vestir. A animação da Pixar “Toy Story” quebrava recordes de bilheteria nos cinemas. Após três anos preso, Mike Tyson, campeão de boxe, voltava aos ringues. A Globo lançava a primeira “Malhação” e a Imperatriz Leopoldinense conquistava o título de campeã do carnaval do Rio.

Portanto, pode-se dizer que era um ano com novidades… será que para o Flu também seria?

Entretanto, o estadual não começou nada bem para o Flu. A derrota por 1 a 0 para o Madureira dava indícios de mais um ano difícil (ou não). Ao longo da competição o Fluminense acumulou 8 vitórias, 4 empates e 2 derrotas, e não ficou na primeira colocação em nenhum dos turnos em seu grupo. Ambos liderados pelo Flamengo.

Na penúltima rodada, o Fluminense venceu por 3 a 0 o Enterriense, porém o Flamengo também venceu, logo tudo seria decidido na última rodada. O rubro-negro chegava aos 32 pontos e o Flu aos 30 pontos, para conquistar o título era necessário que o tricolor buscasse a vitória a qualquer custo, visto que o empate favorecia ao time da Gávea.

No Maracanã lotado, com 112.285 pagantes e mais de 120 mil presentes, o campeonato chegaria ao fim. O Flamengo era o favorito, Romário, que acabara de ser campeão da Copa do Mundo de 94, era quem comandava o time. Nem o mais otimista acreditava numa eventual vitória do tricolor das laranjeiras.

Rolou a bola… no primeiro tempo, Renato Portaluppi e Leonardo fizeram 2 a 0 para o Flu. De repente, a confiança da torcida aumentou, a vitória realmente seria possível? A alegria não perdurou, no segundo tempo o Flamengo empatou o jogo, Romário e Fabinho marcaram, 2 a 2. O empate não favorecia ao Flu. Mas todo mundo sabe da principal máxima de quem torce para o tricolor: se não for sofrido, não é Fluminense.

Aos 41 do segundo tempo, Aílton chutou cruzado pela direita, a bola passou por todo mundo e encontrou a barriga de Renato Gaúcho: 3 a 2 Flu, loucura no Maracanã, era o final perfeito, justo no centenário do adversário. Fim de jogo, Fluminense Football Club campeão carioca de 1995, mais um título que marca a história do clube. A barrigada entra para a eternidade. A dor dura para uns até hoje. E a alegria também…

 

ST


Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *